segunda-feira, 4 de setembro de 2017

encontros

Às vezes é preciso fugir do mundo por quanto tempo for possível, as vezes quanto tempo for preciso. Do grande mundo lá fora e do maior Ainda aqui dentro. Fechar os olhos, concentrar no aqui e agora e estabilizar a dor de pensar no passado, no futuro e em tudo que te tampa a visão e te destrói o coração. Em tudo que da "errado", pensar "pra quem é que está errado?". E se quebrado, como conserta?
Às vezes temos que dar adeus à coisas e pessoas para que possamos entender o pq estamos aqui, o pq estamos assim, para onde devemos seguir ou apenas quando calar ou cantar.
Fugir do mundo, não é fugir, é procurar. Nem sempre achar algo, mas procurar, sim. Sigo a tentar hoje, e quando conseguir, por precisar.
"Deixe-me ir, preciso andar. Vou por aí à procurar. Rir pra não chorar. Diga que só vou voltar quando me encontrar."

1 ano de saudade

Nós viemos à este mundo e nos deparamos com batalhas que por muitas vezes parecem incessantes e já perdidas. Digo especialmente quando se trata de sonhos, desejos, certezas, paixão. Seguir para aquilo que queremos e acreditamos e somos apaixonados é, geralmente, um caminho cheio de pedras, o ar é seco, a água é escassa e não conseguimos enxergar o final dessa estrada, na qual andamos sozinhos e descalços. Mas aprendemos a apreciar o entorno, o que pode fazer essa estrada ser um pouco menos pesada pra nós. O céu azul, o céu escuro, as nuvens brancas e as negras, a chuva, as flores, aquele pedacinho de verde crescendo no meio daquela rocha seca e sem vida.... e aos poucos, a caminhada parece um pouco menos difícil. Na vida, essa caminhada e sofrida e estamos sozinhos, mas conseguimos nos fortalecer sabendo que alguém já passou por aquela estrada, já teve os pés machucados pelas pedras, mas chegou até o final para contar a história e te dar forças pra acreditar que você também pode chegar ao final desse caminho e lá, descobrir e construir coisas maravilhosas.
Meu avô foi esse homem, que caminhou com pés descalços, uma pequena bolsa cheia de medos e esperança, precisou de forças de D's sabe onde para chegar ao final, mas chegou. E quando chegou, marcou seu nome, fez sua história, plantou sua floresta pra que outros, que viessem logo em seguida, viessem por um caminho menos pesado e difícil e mais bonito. Ele chegou, ele fez, ele aconteceu e há um ano ele partiu, deixando pra nós muito além de uma colorida floresta que ele mesmo construiu, mas os mais preciosos ensinamentos que jamais poderíamos aprender com mais ninguém.
Meu avô é meu exemplo de força, fé e coragem e eu sinto falta dele todos os dias da minha vida, do meu jeito.
Sou muito grata. Seu descanso foi merecido, mas a saudade dói....

libriann

Quando eu gosto, eu gosto. Quando eu amo, amo de verdade. Quando me entrego, é de corpo e alma e todo meu coração. Quando eu quero algo, não tem quem me pare, mesmo aqueles que no caminho querem derrubar ou atrasar a caminhada. Comigo não tem metade. Odeio metades. Eu gosto de tudo, de entrega, de força, de paixão, de arriscar sem pensar nas consequências. Eu nunca me dôo pela metade, porque se for pra ir assim, melhor nem sair de casa. Gosto de enfrentar meus medos.
Quando eu sou amiga, eu sou a melhor amiga que posso ser. Não guardo sentimento. Sou explosão! Transbordo e gosto que me transbordem. Mas também tenho meus receios, meus erros contínuos, inseguranças e, na verdade, pelo caminho infelizmente acabo carregando nas costas algumas metades que acabam pesando demais.... Não que eu aguente por muito tempo, mas carrego sim. Não nego. Sou humana. Carne, osso e arte. Sentimento pra cacete!!!!
E quando eu digo que só quero que seja sincero comigo, eu realmente quero que seja. Porque tolero muita coisa, além do que deveria. Mas mentira não. Sem confiança, nada vale a pena.
Quando eu canso, eu canso! E eu perdôo, mas nunca me esqueço. Não por escolha, mas porque na vida a gente cresce lembrando dos erros, para não cometer novamente, e dos acertos. E cada dia mais, o cuidado é maior com as pessoas ao meu redor. Para não machucar e não ser machucado.
Sou de verdade. E valorizo quem é de verdade. Valorizo muito.

Michael

Vestido de branco e sedutor.
Você um dia chegou daquele teu jeito misterioso, silencioso, e eu quis saber de você. Senti teu perfume e ouvi do entorno, como eras descolado, engraçado, falante e como todos gostavam de você. Não pensei três vezes, mas duas. Na primeira já não resisti, te conheci e como todos falavam que ia ser, me deixei seduzir. Com você, eu não sentia nada. Os problemas sumiram, a dor sumiu, abtristeza sumiu e a gente tinha assunto até não conseguir mais falar, de tão cansados que ficávamos! Eu fiquei louca, apaixonada... Mas sabia que comigo seria diferente, já que pela boca de muita gente, já Ouvia sobre ti. Sabia que tu era sacana, bonito demais, aquele que engana. Quando eu chegava perto de você, me sentia a mulher mais poderosa do mundo, muito forte e segura de tudo, porque sabia que tinha você ao meu lado quando EU quisesse. Mas tarde percebi que era VOCÊ quem me tinha, na palma das duas mãos e onde e como mais quisesse ter. Me rendi, ainda falando pra mim que poderia ir embora quando quisesse, que essa paixão não poderia prender a mulher que eu era. Porque eu te via como, uau, muito! Mas eu ainda me via como mais ainda. Até que o sol das dez da manhã bateu nos meus olhos tristes e desfocados de dias virados, me olhando pelo espelho e tentando lembrar quem era aquela refletida ali, na redonda pupila, tão perto e perdida. Foi quando olhei em volta e não tinha mais ninguém. Ninguém. Nem você, nem ninguém. Nem eu, nem ninguém. Ninguém... E o vazio começou a preencher um espaço tão grande, que eu só pude chorar e rezar. Chorar e rezar. Pensava em você, que podia acalmar minha angústia, me abraçar e fazer parar aquela dor que doía tanto que chegava a tremer os músculos do corpo inteiro. Queria um beijo, um abraço, queria um cigarro, só mais um cigarro e eu podia dormir. Umas gotas de remédio pra ajudar a engolir o dia que passou e o que estava por vir. E o sol esquentava minha cabeça, machucava meus olhos e eu entendi que eu havia passado a não mais querer, mas a precisar de você. Perdia o sono e virava noites por você. Porque eu me sentia sozinha. Mesmo estando comigo mesma, eu me sentia sozinha. Porque você conseguiu me carregar, me seduzir, me enganar, me controlar, me desfazer, me entristecer e nem me reconhecer eu conseguia mais. Era difícil arrancar um sorriso se eu soubesse que você não viria aquela noite. Eu ficava aflita, e percebi que quem mandava em mim então, era você. Eu não sabia nem mais o que eu tava fazendo ali. 
Mas busquei descobrir o por que, quando cheguei tão fundo que nem dormindo eu conseguia estar em paz. Nem nos sonhos eu conseguia descansar. Eu não podia mais ficar ali. Não se pode entregar tanto à alguém que não sobre mais nada pra você.
Só por hoje eu não vou pensar em você. E se pensar, vou me forçar a lembrar da balança, que sempre me fez ter certeza que você não valia nada, porque o lado das coisas que me faziam mal em relação a você, sempre pesaram demais. Muito mais que o outro lado.
Só por hoje vou mudar os ares, vou mudar o hábito, não ver alguns conhecidos com quem gostava de conversar, porque sei que são seus amigos também e que talvez você possa estar em volta e, sinceramente, você e eu precisamos de espaço. Principalmente entre nós. Claro que você ainda vai frequentar todos os espaços que eu frequento, mas só por hoje, vou me deixar virar a cara ao te ver, sem me sentir antipatica por isso. Vou falar o necessário. Se falar demais, ou nada, é porque estou na companhia certa.
Só por hoje não quero mais te ver.
Só por hoje eu não quero mais você.
Todo minuto é difícil, mas eu sou meu próprio lar, ninguém mexe comigo, ninguém me tira do ar.
Só por hoje, meu amor. 
Mais um dia.
Quem diria?!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Pesadelo

ogo pela manhã
Meu reflexo no espelho
Me enxerga triste.
Os olhos molhados 
Logo cedo acordados
Encaram a luz do dia.
Ainda de pé,
Ainda erguida,
Mesmo tão ferida,
Caminho com fé
Com meu coração estilhaçado
Mil cacos na mão
Alguns pelo chão 
Me encaro perplexa
Reflexa
Mergulhado em tristeza e dor
Por tão tarde perceber
Que de tão estirado
Teu corpo reflete um espelho quebrado
Pelas mentiras que você me contou

Me olho nos olhos
No reflexo da retina
Mergulho bem fundo
No vazio da Alma
Que de tão vazio transborda
E de lá não consigo sair.

Quanto mais me movo
Mais afundo.
Quando mais afundo 
Mais seu mundo
Menos eu no meu.
Quanto menos me amar,
Eu,
Menos meu lar
Mamemos cantar 
Mais calar.

Mas não quero mais
Esbarrar 
Em você
Com você.
Quero ser
Só eu
Sem você.
Só é somente eu.
Sem

Você.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Ódio-te

Você me preencheu de vazio.
Eu não mereço tanto de nada.
Eu nao quero mais seu amor apodrecido
Suas mentiras constantes
Sua boca com gosto de outras
Seu abraço vazio...
.

O amor nao morreu.
Só se transformou
Em ódio
E como você,

Apodreceu.

terça-feira, 11 de outubro de 2016